Híbridos defensivos – e seus reflexos na secundária

Raphael da Cruz – Manager // Galo Futebol Americano


A nova posição do futebol americano A NFL não vem somente evoluindo em relação a marketing e eventos, o jogo dentro das 4 linhas vem crescendo seu nível tático e técnico a cada temporada e isso faz com que os treinadores e atletas que não acompanham a evolução do esporte fiquem pra trás e acabam perdendo espaço na liga.

Híbridos Defensivos


Atualmente a equipe que possui dentro do seu elenco jogadores híbridos, acabam saindo na frente das outras que não possuem esse tipo de talento em seu elenco. Nos últimos anos temos notado que as equipes que possuem o chamado “nova geração de Tight Ends” em seu elenco (aquele atleta com média de 2 metros de altura, 115kg, 4.7 nos 40y dash, sabe receber passes com um WR e bloquear como um OL) são as que normalmente disputam um Super Bowl.


O Maior exemplo deles é o time dos Patriots que encontrou na década passada a chave para deixar as defesas sem material humano para competir contra seus ataques recheados de Tight Ends foras de série como: Gronkowski, Bennet e Aaron Hernandez.
Na temporada de 2016 na qual se sagrou campeã, o trabalho ofensivo utilizando o “12 Pack” (1 RB, 2 TE, 2 WR) foi cirúrgico.


Quando a defesa adversaria encarava esse ataque usando sua “Base Defense” (regular personnel) os Pats abriam o campo com a Spread Formation (2×2, 3×1, Empty) e isso permitia ao Tom Brady manter um ritmo rápido de passes em seus matchups favoritos.

Anúncios


Se a Defesa se adaptava e entrava com um personnel mais leve (Nickel ou Dime), os Patriots colocavam seu 12 Pack em campo, com seus 2 TEs criando mais gaps nas extremidades da linha. Correndo com a bola nada mais nada menos que Le Garrette Blount, servindo como um trator e castigando o leve pacote defensivo, até o DC “jogar a toalha branca” e voltar com sua Base Defense.


Mas então como parar esse tipo de ataque?


É tão difícil que os General Managers entenderam que precisaram recorrer ao Draft e escolher uma “Nova geração de Safetys e Outside Linebakers” pra bater de frente com esse tipo ataque.
A partir do momento que o coordenador defensivo possui esse atleta hibrido em sua defesa as coisas começam a melhorar e ele consegue implantar com mais facilidade a pacote “Big Nickel Defense”.


O que é Big Nickel Defense?
Nickel: Extra Defensive Back (normalmente um Cornerback), que substitui um LineBacker em uma jogada clara de passe para fazer um matchup contra o Slot (Receiver ou Tight End).


Big Nickel: Extra Defensive Back (Safety), que irá atuar como um hibrido na defesa (CB/LB). Além de possuir a habilidade para cobrir o Slot, ele possui tamanho para contra bloquear no jogo corrido contra Tight Ends.
Com 3 Safetys em campo além de dificultar a leitura pré snap do QB em uma jogada aérea, esse pacote defensivo também é efetivo contra a jogo corrido devido a presença de jogadores mais atléticos próximos a linha de scrimmage.


Como resumo da obra esse pacote é mais efetivo contra certos tipos de formações ofensivas e acaba sendo uma aposta que vale a pena para o coordenador defensivo utilizar.

Anúncios
Anúncios

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: