Playoffs de Devin White e o dinamismo do Linebacker moderno

Por Maurício Faé – Treinador e Scouter // Santa Maria Soldiers.

O futebol americano é um esporte em constante evolução. A cada temporada novos sistemas nascem, ajustes são feitos e o dinamismo da NFL está cada vez maior. Saímos da era onde o jogo físico, com box lotado e ataques terrestres eram dominantes, para um liga aberta, onde as equipes espalham mais os seus jogadores e, consequentemente, o jogo aéreo passou a assumir o protagonismo.


Com essa mudança de tendência, os jogadores também passaram por adaptações. Aquele perfil de atletas extremamente fortes e pesados, começou a dar espaço para a velocidade e o atletismo demandado no atual cenário. Me arrisco a dizer que a posição que mais teve que se adaptar foi a de linebacker, pois a exigência por um dinamismo é gigante. Combater o jogo corrido, ter capacidade para realizar marcação em zona e ainda cobrir Running Backs e Tight Ends no mano a mano, principalmente com o surgimento de exímios recebedores nessas posições, como Christian McCafrey, Dalvin Cook, Travis Kelce e Darren Waller, não é uma tarefa nada fácil.


Linebackers especialistas no combate ao jogo corrido como Ray Lewis e Brian Urlacher deram lugar a Luke Kueckly e Bobby Wagner, jogadores mais versáteis e que durante a carreira mantiveram a eficiência contra ataques terrestres, mas também trouxeram versatilidade contra o jogo aéreo, entretanto o cenário segue mudando e a velocidade do jogo continua aumentando, os estímulos estão cada vez mais complexos, a elevada gama de opções de screen pass, read option e run-pass-option estão ai para comprovar, por isso a nova geração de linebackers está ainda mais rápida e dinâmica, um bom exemplo disso é Devin White.

Anúncios


White é um atleta completo e vem mostrando isso desde seus tempos de LSU Tiger. Seus números no College Football foram excelentes, o defensor acumulou quase 300 tackles durante sua carreira universitária, além de 8.5 sacks e 4 fumbles forçados. Sua velocidade sempre o colocou em ótima posição para agredir o backfield e cobrir o campo, entretanto, para mim, o fator que mais dá destaque ao jogador é a sua capacidade de flutuar de sideline a sideline, ele consegue fazer jogadas em todas as partes do campo, sendo eficiente contra praticamente todo tipo de ataque.

No combine, White teve uma performance excelente, ele mostrou toda sua capacidade atlética e obteve números muito consistentes como 22 repetições no bench press e a impressionante marca de 4.42s nas 40 jardas, além de impressionar os olheiros das equipes com um footwook excepcional. Uma carreira sólida em LSU e a ótima apresentação no combine, colocaram o prospecto no topo da lista do linebackers para o draft de 2019. O Tampa Bay Buccaneers não perdeu tempo e selecionou White como a quinta escolha geral, mostrando a valorização do talento apresentado pelo jogador.


Devin vem provando que toda expectativa criada sobre sua performance não foi em vão, o atleta acumula prêmios individuais como “Novato do mês” e “Jogador da semana” desde o início da sua promissora carreira que, numericamente, já tem mais de 230 tackles e 11.5 sacks. Seu dinamismo em campo o coloca entre os melhores linebackers da NFL já no seu segundo ano, o seu domínio de sideline a sideline foi tão impactante que rendeu ao atleta a seleção para o “NFL All-Pro Second Team 2020”.


A curta carreira de Devin White até aqui, teve seu auge nos playoffs da temporada 2020/21, onde junto com uma linha defensiva sólida e a prolífica parceria com Lavonte Davis, colocou a defesa de Tampa como uma das melhores da liga. Os números de White na pós temporada foram mágicos, o defensor acumulou 38 tackles, além de 2 INT, sendo uma delas na reta final do Super Bowl LV, o que ajudou muito o ataque de Tom Brady a levar o troféu Vince Lombardi para a Florida.


O Tampa Bay Buccaneers utiliza um padrão defensivo 34 (3 DL e 4 LB), rodando muito stunt com sua linha defensiva. Esse sistema requer muita inteligência e velocidade para os Inside Linebackers, e White tem conseguido cumprir com sua função de forma excepcional. Ele tem se mostrado versátil contra o jogo corrido, tendo capacidade de destruir bloqueios e fazer tackles na linha de scrimmage, além de ser muito eficiente contra corridas laterais e screen game.

O camisa 45 dos Bucs tem se mostrado também habilidoso contra o jogo aéreo, seja cobrindo zonas do campo ou até mesmo pressionando o quarterback adversário. Uma das características que White ainda precisa evoluir no seu jogo é a marcação homem a homem, pois ele ainda apresenta alguma dificuldade quando é recrutado para tal função, para sua sorte, Todd Bowles, coordenador defensivo de Tampa, consegue usar todo seu talento da melhor forma possível e minimizar essa sua fragilidade.


É inegável que Devin White é um prospecto com teto gigantesco e ainda está longe de atingir o auge da sua carreira, sua evolução do primeiro para o segundo ano na liga foi nítida, além disso a cada jogo o defensor é mais líder dentro do grupo, mostrando senso coletivo, como mencionou na sua entrevista após o título do Super Bowl LV, em cima do poderoso ataque do Kansas City Chiefs de Patrick Mahomes: “Não seriamos arrogantes de enfrentá-los em cover 1 (homem a homem), dizendo que nossos melhores caras iriam acabar com os melhores deles. Nós íamos fazer com que fosse uma vitória coletiva na defesa, e foi isso que fizemos”.


Minha expectativa como amante da NFL e apreciador da posição de linebacker é que Devin White tem todos os atributos para marcar época e se tornar um dos grandes, mas ainda é muito cedo para afirmar qualquer coisa, vamos aguardar as próximas temporadas e ver até onde o defensor de apenas 23 anos pode chegar.

Anúncios
Anúncios

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: